sexta-feira, 15 de março de 2013

Artista do mês de março - Hergé, o criador de Tintim.



Biografia

"Autor de banda desenhada, ilustrador e publicitário, Georges Prosper Remi, dito Hergé, nasceu a 22 de maio de 1907, em Etterbeek, nos arredores de Bruxelas (Bélgica).
Oriundo de uma família católica, a sua infância e adolescência foram marcadas pela sua ligação aos escuteiros, tendo desde pequeno enveredado pelo desenho e a ilustração, pelo que a criação de Totor, um escuteiro com traços de Tintim, para a revista Le Boy Scout , em 1926, surgiu naturalmente.

Após concluir os estudos secundários, em Humanidades, foi trabalhar no jornal católico Le Vingtième Siècle, em 1925, na área das assinaturas.



Tintim

Em 1928 passou a ser redator chefe do Le Petit Vingtième, suplemento semanal de Le Vingtième Siècle. Neste mesmo suplemento surgiu pela primeira vez Tintin (Tintim), a 10 de janeiro de 1929, numa história em que o personagem visita o País dos Sovietes. O vivo entusiasmo que suscitou nos leitores, levou mesmo à encenação da chegada de Tintim e Milu, acompanhados do próprio Hergé, à estação Gare du Nord, em Bruxelas, onde uma multidão os aguardava. Dessa história, resultou o seu primeiro álbum, Tintin au Pays des Sovietes (Tintim no País dos Sovietes ), que foi editado no ano seguinte pelo próprio jornal, sendo o único que, mais tarde, não foi redesenhado nem colorido, encontrando-se na sua versão original a preto e branco. Ainda em 1930, criou os endiabrados Quick et Flupke (Quim e Filipe), no Le Petit Vingtième, que aparecem em curtas histórias de duas páginas, reunidas em doze álbuns, para "desespero" do agente 15 da Polícia de Bruxelas, alvo preferencial das suas traquinices.



Em 1934 criou um dos seus trabalhos menos divulgados, Popol et Virginie, também no Le Petit Vingtième, numa incursão pelo oeste americano com animais humanizados, que não teve continuação, trabalho inédito em Portugal.

1936 marcou o surgimento de uma nova série, Jo, Zette et Jocko (Joana, João e o Macaco Simão), de que foram editados, mais tarde, cinco álbuns. Dois irmãos e o seu simpático macaco vivem divertidas aventuras, num ambiente familiar, a pedido dos responsáveis do semanário Coeurs Vaillants, que publicava as Aventuras de Tintim em França.
Nesta época, a par das suas bandas desenhadas, criou o Atelier Hergé, consagrado à publicidade e demais ilustração, de livros, catálogos ou cartazes, pelo que o trabalho absorvia totalmente o seu tempo.





A 10 de maio de 1940, a ocupação da Bélgica pelos nazis levou ao encerramento de, entre outros jornais, Le XXe Siècle e o seu suplemento Le Petit Vingtième , pelo que a publicação de Tintin au Pays de l'Or Noir (No País do Ouro Negro) foi interrompida por oito anos. Ainda nesse ano, Hergé iniciou uma outra aventura, Le Crabe aux Pinces d'Or (O Caranguejo das Tenazes de Ouro), no jornal Le Soir, suplemento Le Soir Jeunesse, que marca a estreia do Capitão Haddock, que acabará por "rivalizar" com Tintim em popularidade.





Em 1942 a Casterman passou a editar as histórias de Hergé em álbuns de 62 pranchas (páginas), de modo a padronizar o formato e tirar potencialidade do uso da cor. Uma vez que os primeiros livros chegavam a ter 140 páginas, foi necessário, progressivamente, remodelar e colorir os primeiros títulos, estando disponíveis ambas as versões.

A 26 de Setembro de 1946 surgiu a revista Tintin, que se revelaria um marco na História da BD, numa iniciativa de Raymond Leblanc (das Editions du Lombard). Contou desde o começo com grandes nomes da Nona Arte, como Edgar P. Jacobs (criador de Blake e Mortimer) e Paul Cuvelier (autor de Corentin), para além de, naturalmente, Hergé. Estes, juntamente com outros autores que entraram mais tarde na revista, formaram a que ficou conhecida como a "Escola de Bruxelas".

 A 30 de Março de 1950 iniciou-se na Tintin a publicação da dupla aventura lunar, Rumo à Lua e Explorando a Lua, em que Hergé "antecipa" a ida do Homem à Lua em perto de 20 anos, aumentando em muito o prestígio de Tintim.

Rumo à Lua e Explorando a Lua.


Em termos estéticos, o autor foi precursor do estilo Linha Clara (designação criada em 1977 pelo neerlandês Swarte, referente ao desenho elegante e depurado, de linhas bem definidas). Grande admirador da pintura, Hergé não se coibiu de pintar e comprar várias telas nos últimos anos da sua vida, conhecendo nomes como Andy Warhol, que o retratou.



Quando faleceu a 3 de Março de 1983 (em Bruxelas), foi notícia em todo o Mundo, tendo o prestigiado jornal francês Libération feito uma edição em que as notícias não foram acompanhadas por fotografias mas sim por desenhos extraídos das aventuras de Tintim. Com a sua morte ficou inacabado o que seria o próximo álbum de Tintim: Tintin et l'Alph-Art , cujos esboços do guião e dos desenhos se encontram reunidos na edição do mesmo título. Este álbum deu, entre 1989 e 2003, o nome aos prestigiados Prémios do Festival Internacional de BD de Angoulême (anteriormente designados Alfred , depois denominados Prix d'Angoulême).

A Fundação Hergé, em Bruxelas, é a instituição que cuida de todo o seu vasto acervo documental, procurando disponibilizar aos leitores e estudiosos um grande conjunto de informações, através da realização de exposições e a edição de bibliografia crítica, que atinge largas dezenas de títulos".*



* in Festejos de centenário do Nascimento, site da Wook:
http://www.wook.pt/authors/detail/id/7056
(Consulta realizada no dia 1 de março de 2013.)

Tintim no Cinema:

"As Aventuras de Tintin - O Segredo do Licorne".

"O Fantástico Homem-Aranha: O Regresso do Homem-Aranha", uma oferta especial no mês da Banda Desenhada!

No mês da Banda Desenhada da Biblioteca Escolar do CBR, o aluno Ricardo Borges, do 5º ano, surpeendeu-nos com uma oferta especial:

"O Fantástico Homem-Aranha: O Regresso do Homem-Aranha"

O livro do Homem-Aranha para os verdadeiros fãs.




Trechos de Bandas Desenhadas originais, desdobráveis que saltam das páginas, bem como muitas informações sobre os personagens.
Neste livro, acompanhe o Homem-Aranha na sua transformação, de Peter Parker, tímido rato de biblioteca, para simpático lançador de teias.
E ainda, conheça os 7 inimigos mais mortíferos, entre eles o Doutor Octupus, o Duende Verde e o Homem-Areia.









A Biblioteca Escolar do Colégio Bernardette Romeira agradece ao aluno Ricardo Borges esta oferta!

terça-feira, 12 de março de 2013

A Feira do Livro já chegou à nossa biblioteca!












Para mais informações contactar Elsa Francisco, organizadora independente da Usborne.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Feira do Livro na Biblioteca Escolar do Colégio Bernardette Romeira.

No âmbito da “Semana Cultural do CBR”, a decorrer entre os dias 11 e 15 de março, a Biblioteca Escolar do Colégio Bernardette Romeira apresenta a 2ª Feira do Livro deste ano letivo que conta com a participação da editora inglesa Usborne.
 
A realização de eventos desta natureza, na biblioteca do colégio, são atividades de grande importância no estímulo do gosto pela leitura junto de toda a comunidade educativa. Neste período continuamos a apostar no desenvolvimento das competências em língua inglesa, complementando assim o trabalho desenvolvido pelas professoras dessa disciplina.
 
Convidamos toda a comunidade educativa a visitar a nossa Feira do Livro, que oferece 20% de desconto já incluído no preço do livro e um vale de desconto de um €1,50 para todos os alunos. A Feira do Livro Usborne decorrerá na Biblioteca Escolar entre as 13h00 e as 18h30.

Esta atividade está integrada no plano anual de atividades e apresenta os seguintes objetivos:
  •     Suscita o interesse da comunidade educativa pela leitura;
  •     Manuseia diversos tipos de livros;
  •     Contacta com a literatura inglesa;
  •     Desperta a curiosidade intelectual.
 
Aguardamos a vossa visita!

 
 
Não te esqueças do teu Vale de Oferta!