quarta-feira, 21 de março de 2012

quinta-feira, 1 de março de 2012

Autor do mês de março - Alexandre Herculano




Biografia Cronológica de ALEXANDRE HERCULANO

1810 – Nasce em Lisboa, no seio de uma família modesta, que não pode facultar-lhe estudos universitários.
1831 – Adverso ao absolutismo miguelista, é obrigado a exilar-se em Inglaterra.
1832 – Regressa a Portugal na expedição liberal de D. Pedro, desembarcando no Mindelo. Trabalha na Biblioteca Pública do Porto, como segundo bibliotecário.
1836 – Publica A Voz do Profeta (prosa poética).
1837 – Publica A Harpa do Crente (poesia). Sai o primeiro número da revista O Panoroma. Aí vai publicando as Lendas e Narrativas, só reunidas em volume em 1851.
1839 – É nomeado diretor das bibliotecas reais das Necessidades e da Ajuda.
1830 – É eleito deputado cartista, mas logo se desilude com a actividade parlamentar.
1841- Publica alguns capítulos de O Monge de Cister na revista O Panorama.
1843 – Publica na Revista Universal Lisbonense «Cartas sobre a História de Portugal». Inicia a publicação do romance histórico O Bobo na revista O Panorama.
1844 – Publica Eurico, o Presbítero e O Pároco da Aldeia.
1846 – Publica o primeiro volume da História de Portugal (seguem-se-lhe mais três até 1853).
1848 – Publica O Monge de Cister, romance que constitui, com Eurico, o Presbítero, um díptico, que o autor intitulou Monasticon.
1850 – Interrompe a História de Portugal para se ocupar de uma obra relacionada com a política de intolerância religiosa, História da Origem e Estabelecimento da Inquisição em Portugal.
1853 – Inicia a recolha dos Portugaliae Monumenta Historica. Funda o Partido Progressista Histórico.
1858 – Recusa a regência de uma cadeira de História do Curso Superior de Letras, oferecida por D. Pedro V.
1859 – Adquire a quinta de Vale de Lobos, perto de Santarém, onde, embora retirado, continua a receber correspondência e muitas personalidades ligadas à cultura e ao poder.
1860 – Participa na redacção do primeiro Código Civil português.
1865 – Publica Estudos sobre o Casamento Civil, logo posto no índex romano.
1866 – Casa com uma senhora de quem se enamorara na juventude.
1872 – Inicia a publicação de Opúsculos.1877 – Morre rodeado de enorme prestígio, traduzido numa manifestação nacional de luto